Câmara aprova fundo público para financiamento de campanhas de R$ 1,7 bilhão - Som da Terra FM - sdt

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Câmara aprova fundo público para financiamento de campanhas de R$ 1,7 bilhão

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados


Câmara dos Deputados concluiu na madrugada desta sexta-feira (5) a votação de um projeto de reforma política que cria um fundo público de financiamento de campanhas. Estimado em R$ 1,7 bilhão para o próximo ano, o fundo será composto, ao menos, por 30% das emendas de bancadas de deputados e senadores e pela renúncia fiscal economizada com fim da propaganda partidária nas emissoras de rádio e de TV.

A reforma política foi discutida durante meses por uma comissão especial, mas não houve acordo entre os partidos. Diante da falta de consenso, Vicente Cândido elaborou várias versões do texto para tentar contemplar as exigências dos deputados.

No entanto, mesmo após apresentar uma versão mais enxuta, e que, em tese, trazia apenas pontos de maior consenso entre os partidos, foi preciso que o relator promovesse modificações e concessões a fim de se chegar a um acordo.

Distribuição dos recursos do fundo eleitoral
  • 2% igualmente entre todos os partidos

  • 35% entre os partidos com pelo menos um representante na Câmara dos Deputados, proporcionalmente aos votos obtidos por eles na última eleição para a Câmara dos Deputados

  • 48% entre os partidos na proporção do número de deputados na Câmara em 28 de agosto

  • 15% entre os partidos na proporção do número de senadores em 28 de agosto
Multas eleitorais

O texto facilita o parcelamento das multas eleitorais. Entre outros pontos, prevê que, no prazo de até 90 dias após a publicação da lei, os partidos ou pessoas físicas ou jurídicas devedoras terão direito a 90% de desconto sobre o valor no caso de pagamento à vista.

Arrecadação prévia

O texto permite que os candidatos comecem em 15 de maio do ano eleitoral a fazer a arrecadação prévia de recursos por meio de financiamento coletivo (“vaquinhas”) na internet.

A liberação dos recursos, porém, fica condicionada ao registro da candidatura. Hoje, a arrecadação só pode começar em meados de agosto.

Limite para doações

Hoje, pessoas físicas podem fazer doações até o limite de 10% dos seus rendimentos brutos no ano anterior à eleição. A regra fica mantida, mas com limite de até dez salários mínimos para cada cargo ou chapa majoritária. A doação acima desse teto está sujeita à multa.


Com informações do Ceará News



Nenhum comentário:

Post Top Ad