Header Ads Widget

Conta de energia ficará mais baixa no Ceará a partir de março, diz ministro


As contas de energia elétrica do mês de março, que chegarão ao consumidor em abril, estarão mais baixas, em razão da mudança da bandeira tarifária que passa a vigorar em 1º de março, conforme anunciou nesta quarta-feira (3), o ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga. Com a mudança, a cobrança extra da bandeira tarifária nas contas de luz vai cair dos atuais R$ 3, da bandeira vermelha, para R$ 1,50, da bandeira amarela.
O incremento ao parque gerador com o início da operação de novas usinas e o aumento do nível dos reservatórios das hidrelétricas do Sul e Sudeste possibilitaram o desligamento das térmicas de maior custo e a reavaliação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) sobre os valores de aplicação da bandeira.

Essa é a primeira vez desde a entrada em vigor do sistema, em janeiro de 2015, que a bandeira sai do vermelho, o que indica que o custo da produção da energia no país está muito alto, para amarelo, que indica melhora nessa situação.
sistema de bandeiras tarifárias entenda (Foto: Editoria de Arte/G1)

O sistema ainda prevê a bandeira verde, que significa que a situação no setor elétrico está normal e não há necessidade de cobrança adicional nas contas de luz.
A cada mês, as condições de operação do sistema são reavaliadas pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que define a melhor estratégia de geração de energia para atendimento da demanda. A partir dessa avaliação, define-se as térmicas que deverão ser acionadas.
Se o custo variável da térmica mais cara for menor que R$ 211,28/MWh (reais por megawatt-hora), então a bandeira é verde e sem custo extra para o consumidor. Se estiver entre R$ 211,28/MWh e R$ 422,56/MWh, a bandeira é amarela, com acréscimo de R$1,50 a cada 100 quilowatt-hora (KWh) consumidos.
De acordo com o diretor-geral da Aneel, o rebaixamento da bandeira deve implicar em um barateamento médio de 3% nas contas de luz. Esse índice, porém, varia para os clientes de cada distribuidora.
Regime de bandeiras
Os recursos arrecadados com a bandeira tarifária servem para cobrir o aumento de custos no setor provocado pelo uso das termelétricas, usinas movidas a combustíveis como óleo e gás natural e que geram energia mais cara.
As termelétricas substituem, em parte, a geração de eletricidade das hidrelétricas, que sofrem com a queda no armazenamento de água em seus reservatórios, resultado da seca que atingiu principalmente o Sudeste e o Centro-Oeste a partir do final de 2012.

Com informações do G1 Ceará

Postar um comentário

0 Comentários