Primeira derrota de Temer na Câmara vem com pressão do Nordeste - Som da Terra FM - sdt

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Primeira derrota de Temer na Câmara vem com pressão do Nordeste

Foto:reprodução


Jornal GGN - Com resultado apertado, a Câmara dos Deputados rejeitou, há pouco, o pedido do interino Michel Temer de urgência para o projeto do acordo sobre a dívida dos Estados. Faltaram apenas quatro votos para alcançar os 2576 necessários para a demanda de Temer.
 
Apesar de tema mais longe das polêmicas que tramitam no Legislativo, essa foi a primeira derrota do interino peemedebista no plenário da Câmara. O projeto foi anunciado por Michel Temer como um acordo já estabelecido com o Estados, mas não obteve apoio, por exemplo, da bancada do Nordeste que discordou do texto.
 
Da Folha de S. Paulo
 
 
Por DÉBORA ÁLVARES e EDUARDO CUCOLO

A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (6) o pedido de urgência do presidente interino Michel Temer para o projeto que trata do acordo sobre a dívida dos Estados com a União.
A pedido de urgência teve 253 votos favoráveis. Eram necessários 257. Houve ainda 131 votos contrários e duas abstenções.
Houve dissidências, por exemplo, no PMDB, partido do presidente interino. Além disso, contribuíram para a derrota, a primeira de Temer no plenário da Câmara desde que assumiu, pressões da bancada do Nordeste, maior discordante do texto das dívidas.
Entre os líderes de partidos da base, todos pediram aos seus deputados que votassem sim, com exceção do Solidariedade, que liberou a bancada para votar como quisesse.
Alguns parlamentares afirmaram que o segundo vice-presidente da mesa da Câmara, deputado Giacobo (PR-PR), que comandou a sessão, encerrou a votação com um quórum considerado baixo, algo que o presidente afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) não costumava fazer. O pedido, contudo, partiu do líder do governo na Casa, André Moura (PSC-SE).
A nova versão do projeto, apresentado originalmente pela presidente afastada Dilma Rousseff, foi divulgada nesta quarta-feira (6) pelo deputado Esperidião Amin (PP-SC), relator da matéria.
O texto é fruto do acordo fechado no dia 20 de junho e que teve o aval do STF (Supremo Tribunal Federal) na última sexta-feira (1º).
Apesar do acordo, alguns governadores têm manifestado descontentamento com o que foi definido. Governadores do Nordeste por exemplo, cobram a reposição de receitas perdidas por causa da queda na arrecadação.

Nenhum comentário:

Post Top Ad