Açudes tiveram apenas 1% de recarga - Som da Terra FM - sdt

últimas

Post Top Ad

Post Top Ad

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Açudes tiveram apenas 1% de recarga

Foto/reprodução

O nível médio atual dos reservatórios monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) permanece crítico e é um dos mais baixos para o último mês (maio) da quadra chuvosa no Ceará. Atualmente, está em 13%. Obteve apenas 1% de acréscimo em relação a março passado, quando chegou a 12%.

Os reservatórios estratégicos vêm perdendo volume e a aproximação de mais um verão prolongado (julho a dezembro) vai trazer perda significativa de água em decorrência do aumento do consumo e da evaporação. O Ceará tenta se preparar para enfrentar os meses secos e assegurar oferta de água para a população de centros urbanos e áreas rurais. O quadro de perda de reservas hídricas é avaliado a cada semana pelo Comitê Integrado de Convivência com a Seca. Para o governo, as alternativas dispostas permanecem as mesmas de épocas passadas: abastecimento por carro-pipa, perfuração de poços e instalação de adutoras de montagem rápida.

Um histórico dos últimos 20 anos revela que o volume médio acumulado nos reservatórios do Ceará, que são monitorados pela Cogerh, oscilou significativamente entre 1995 e 2016, mas o nível atual é o mais baixo do período. Desde 2011 que os açudes vêm perdendo reserva. Em junho de 2015, após o fim da quadra chuvosa os reservatórios acumulavam 19,4% e seis meses depois, em janeiro de 2016 chegou a 12,1%. Agora está em 13,4%. A situação poderia estar bem pior se não fossem as chuvas de janeiro.

Atualmente, a bacia hidrográfica que apresenta a situação mais crítica é a do Baixo Jaguaribe com um acúmulo médio de apenas 0,2%. Em seguida, a Bacia do Banabuiú com 3,0% e a do Curu com 3,1%. O quadro permanece preocupante nos Sertões de Crateús com acúmulo de um volume médio de 4,5%.

Há 23 açudes secos e 34 com volume morto. Três permanecem sangrando: Caldeirões, Gameleira e Quandu. Somente quatro estão com volume acima de 90%: Aracoiaba, Colina, Maranguapinho, e Tijuquinha, enquanto 117 estão abaixo de 30%.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Post Top Ad