Atentados em Fortaleza foram ordenados de presídios, diz delegado - Som da Terra FM - sdt

últimas

Pedir Música

Post Top Ad

Post Top Ad

terça-feira, 8 de março de 2016

Atentados em Fortaleza foram ordenados de presídios, diz delegado


Pelo menos três presidiários que estariam em uma mesma Casa de Privação Provisória de Liberdade (CPPL) do Ceará teriam ordenado a maioria dos 13 atentados registrados na Grande Fortaleza, desde a última quarta-feira, 2. O POVO apurou que os detentos seriam ligados a facções criminosas como o Primeiro Comando da Capital (PCC), organização paulista com atuação no Ceará. A descoberta se deu no último domingo, 6, após as prisões de três pessoas que teriam participado diretamente dos ataques.
O assunto foi tratado em reunião entre a cúpula da Segurança e o governador Camilo Santana (PT), ontem, no Palácio da Abolição. Os ataques teriam sido ordenados, conforme as investigações, por revolta dos internos, que alegam maus-tratos nas prisões. Essa era uma das cinco linhas de investigação trabalhadas pela Secretaria da Segurança Pública (SSPDS) até o momento das prisões.
“Sem sombra de dúvidas, os ataques, principalmente às delegacias, ocorreram por ordem de bandidos de dentro dos presídios. Esses mandantes já foram identificados e serão interrogados. Eles tinham o objetivo de chamar atenção para as más condições no ambiente carcerário”, afirmou Andrade Júnior, delegado-geral da Polícia Civil.
Até o fechamento desta página, foram registrados 13 ataques: cinco delegacias e um prédio da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) foram alvejados com disparos de armas de fogo e seis ônibus e uma topique foram incendiados. Ao todo, nove pessoas foram presas e três adolescentes apreendidos, suspeitos de participação nos atentados.
Prisões de domingo
As prisões de três pessoas envolvidas nos ataques a prédios públicos aconteceram na tarde de domingo, no bairro Ancuri, em Fortaleza, e no município de Pacajus. Por meio de nota, a SSPDS informou que a ação teve início após policiais militares abordarem dois suspeitos em um carro clonado de modelo HB20 e placa PMH 5438, no Ancuri. No veículo, os policiais encontraram uma carta de agradecimento pelos ataques contra as delegacias, supostamente assinada pelo PCC. Mesmo com a apreensão da carta, o delegado considera que “ainda é prematuro atribuir a ocorrência dos atentados a uma organização criminosa específica”.
A dupla foi levada à Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). Foram presos Francisco Rafael Pereira Almeida, 23, e Lucas Pessoa de Almeida, 38. A partir da prisão, a Polícia chegou a Ana Klaudya Fernandes de Oliveira, 26, que é companheira de um presidiário. Na casa dela, em Pacajus, foram apreendidas duas espingardas de calibres 12 e 44, usadas nos ataques.
Na noite de ontem, foram presos mais dois suspeitos. Até o fechamento desta matéria, não foram divulgados os nomes dos capturados ou se eles estão envolvidos nos ataques às delegacias ou ao transporte público. Segundo Andrade Junior, os presos responderão por porte ilegal de arma, tráfico de drogas, dano ao patrimônio público, tentativa de homicídio e formação de quadrilha.
A SSPDS, por sua vez, informou, em nota, que a morte de um adolescente em troca de tiros com policiais do BPRaio teria sido a motivação para os ataques.

Com informações do OPOVO

Nenhum comentário:

Post Top Ad